O Mundo Esportivo divulga notícias e textos em forma de rascunho aos leitores desta página com credibilidade

31/12/2017

RASCUNHOS & REVELAÇÕES



Chegamos no último dia de 2017, agora um novo ano e histórias para contar...


O mundo dos esportes também comemora, com os atletas e equipes folgando nesse momento, mas já de olho em 2018.


Este ano teremos Copa do Mundo de Futebol


A competição mais nobre do esporte ao lado dos Jogos Olímpicos, tudo para mexer com a ansiedade e nervos dos torcedores, mesmo aqueles que não curtem as jogadas dos gramados, mas vai na onda.


Por isso, agora em janeiro começam as competições estaduais e a primeira fase da Libertadores da América.


Por falar em Libertadores... a edição de 2018 será uma das melhores, basta avaliar os times em disputa e os oito grupos, está nascendo um embrião do que acontece com a Liga dos Campeões na Europa, será?


Outros esportes além do Futebol vão chamar a atenção do público.


Irão acontecer torneios de grande importância, sem falar na disputa dos Jogos de Inverno, na Coreia do Sul agora em fevereiro.


Alguns atletas disseram adeus as suas carreiras em 2017, mas outros estão aí a cada dia marcando sua histórias, nos gramados, quadras, pistas, piscinas...


É a renovação e revolução do esporte no mundo globalizado.


A revelação mais importante é que 2018 está aí para modificar o que ficou de ruim e poder acrescentar o bom das atividades esportivas na vida dos cidadãos.


A interatividade vai fluindo na rotina dos leitores, internautas, ouvintes e telespectadores na nobre arte da comunicação.


Falando em campeonatos... a primeira grande competição será a Copa São Paulo de Futebol Júnior - é bom ficar de olho nessa garotada.


Outros pontos vão chamar a atenção dos amantes do esporte!


Como será a participação da Seleção Brasileira na Copa, título ou novo fracasso como aconteceu em casa no famoso "7 x 1"?


Fórmula 1 sem pilotos brasileiros após 48 anos, teremos queda de audiência para um país com seus oito títulos mundiais nas pistas?


Lewis Hamilton ou Sebastian Vettel, quem será pentacampeão e igualar a marca do lendário Juan Manuel Fangio? 


E o legado das Olimpíadas do Rio de Janeiro vai acontecer quando? 


Teremos que esperar Tóquio 2020!


São perguntas que somente neste ano que de fato poderemos então achar as respostas concretas e objetivas.


#FELIZ 2018!

 

29/11/2017

GRÊMIO É CAMPEÃO DA LIBERTADORES DA AMÉRICA 2017

Grêmio fatura pela terceira vez a famosa competição continental

Em jogo emocionante e marcante na grande final da Libertadores, o Grêmio soube vencer as adversidades e assim derrotou nas duas partidas diante do Lanús jogando na Argentina por 2 a 1 e com o título garantiu uma vaga para disputar mundial de clubes em dezembro.


Saiba como foi a grande final da Libertadores


A partida decisiva da Libertadores começou com o Grêmio pressionava muito a saída de bola do Lanús. Com poucas alternativas, o time argentino tinha dificuldades para manter a posse da bola mesmo jogando como mandante e não conseguia chegar perto da área gremista. Sem conseguir pressionar, o Lanús apostava nas bolas paradas, mas também esbarrava em uma atenta defesa do time brasileiro. Com 27 minutos, Fernandinho tomou a bola do zagueiro no meio de campo e disparou em velocidade. Na entrada da área, o atacante chutou com força na saída do goleiro Andrada e abriu o placar para o Grêmio fazer 1 a 0. Perdendo por dois gols no placar agregado, o Lanús começou a se lançar mais para o campo ofensivo. Em um lance de Velázquez bateu falta colocada, mas viu Marcelo Grohe espalmar para mandar a bola para escanteio.

Com mais espaço para contra atacar, o Grêmio respondeu quando Arthur completou cruzamento rasteiro de Edílson por cima da meta. Disciplinado taticamente e aplicado na marcação, o Grêmio não dava chances para o rival argentino, que tentava atacar de todas as maneiras, mas não conseguia ficar com a bola. Na parte final do primeiro tempo, o Grêmio aproveitou para aumentar sua vantagem, na jogada de Luan ao receber na intermediária de frente para uma defesa mal posicionada, invadiu a grande área e ainda driblou três adversários e tocou por cima do goleiro Andrada para fazer um golaço. Com isso, o time brasileiro foi para o vestiário numa confortável vantagem de três gols diante a equipe argentina jogando em casa.

No segundo tempo, o Lanús voltou mais organizado e conseguia pressionar com efetividade pela primeira vez no jogo. Com menos gás para apertar a equipe adversária, o Grêmio mudou sua postura de jogo, apostando na marcação defensiva e na velocidade dos contra ataques. Logo no início da segunda etapa, Arthur, com dores, deixou o gramado para a entrada de Michel. Bem postado, o time brasileiro não sofria com as investidas da equipe mandante e deixava o tempo passar. Com 25 minutos, no entanto, Jailson derrubou Sand dentro da área e o árbitro paraguaio Enrique Cáceres assinalou pênalti para o Lanús. O próprio Sand foi para a cobrança e deslocou na batida diante de Marcelo Grohe para diminuir a vantagem em 2 a 1.

Logo após sofrer o gol, o técnico Renato Gaúcho colocou Cícero, autor do gol da vitória na primeira partida, no lugar de Barrios. Apesar da pressão adversária, o Grêmio continuava bem postado na defesa. Com 37 minutos, Ramiro se desentendeu com Marcone e acabou expulso e o time brasileiro ficou com um homem a menos. O Lanús precisava do resultado e jogava com os dez jogadores de linha no campo de ataque, mas não conseguia aproveitar a superioridade numérica. O Grêmio então segurava o ímpeto dos argentinos e despachava a bola para longe de sua área nos minutos finais. Mesmo com um jogador a menos e resistiu com bravura e aos 50 minutos, a equipe de Porto Alegre pôde comemorar a conquista da América na casa do adversário e garantir pela terceira vez a competição mais importante do continente, repetindo os feitos de 1983 e 1995, além de garantir uma vaga ao mundial de clubes que será em Abu Dhabi, agora no mês de dezembro.

29/10/2017

LEWIS HAMILTON É TETRACAMPEÃO MUNDIAL DE FÓRMULA 1 NO MÉXICO

Hamilton faz história ao ser o maior campeão britânico na Fórmula 1

Lewis Hamilton conquistou neste domingo o seu quarto campeonato mundial que foi marcado por um incidente logo após a largada entre ele o principal adversário na luta pelo título, o alemão da Ferrari Sebastian Vettel. Os dois pilotos se tocaram e Lewis teve um pneu furado e ficou muito tempo em último no grid, mas após o pit stop o inglês da Mercedes recuperou terreno e cruzou em nono e sagrou-se campeão da temporada. Vettel até que fez uma boa corrida de recuperação, contudo o quarto lugar ao final de 71 voltas no circuito Hermanos Rodriguez, no México não foram o suficiente para levar a decisão para o Grande Prêmio do Brasil, próxima prova da parte final da temporada no dia 12 de novembro. 

Com o título confirmado, Hamilton agora iguala com o próprio Sebastian em número de conquistas, assim como o francês Alain Prost que atualmente faz parte da equipe Renault na categoria, mas o britânico possui mais vitórias com relação aos dois competidores. Lewis só está atrás em número de títulos de Michael Schumacher com sete campeonatos e o argentino Juan Manuel Fangio com cinco títulos na Fórmula 1.

Saiba os detalhes que deu o tetracampeonato para Hamilton

A corrida começou e Max Verstappen foi ousado desde a largada. O piloto da equipe Red Bull fez uma ultrapassagem sobre Sebastian Vettel que foi o pole logo na primeira curva, escapando de um toque com a Ferrari para seguir em frente e dominar a prova na Cidade do México. Vettel sofreu danos leves na asa dianteira e foi superado por Hamilton na curva 2. O alemão então tocou no pneu traseiro direito do inglês da Mercedes #44 na saída da curva 3, danificando ainda mais sua asa e com isso furou o pneu de Hamilton. Isso forçou ambos os competidores retornarem lentamente aos pits, deixando o caminho livre para Verstappen derrotar com facilidade a segunda Mercedes de Valtteri Bottas e liderar tranquilo ao longo das 71 voltas na pista dos irmãos Rodriguez e vencer pela segunda vez na temporada e garantir sua terceira conquista na Fórmula 1. Vettel ao longo da prova fez uma dura luta para recuperar várias posições, marcado por diversas manobras arriscadas e superar vários pilotos e ainda foi beneficiado com o virtual safety car e recuperou muitas posições, além de ter feito a melhor volta da prova somente terminou em quarto lugar e precisava ficar em segundo para pelo menos levar a disputa para a corrida do Brasil, a penúltima da temporada 2017. Com isso, a vantagem caiu para 56 pontos, mas agora restam 50 em disputa e dado estes fatores o piloto da Mercedes garantiu o título apenar de ter chegado apenas na nona colocação no fim. 

A rotina para Hamilton também não moleza, o inglês enfrentou dificuldades para escalar o pelotão, ao contrário de Vettel, que progrediu em melhor ritmo. O líder da prova Verstappen aproveitou a oportunidade para fazer seu pit-stop, assim como Bottas e Kimi Raikkonen, que havia subido para terceiro lugar depois das paradas dos dois carros da Force India e o abandono de Nico Hulkenberg da Renault. Os três voltaram na mesma ordem. Vettel e Hamilton também pararam e em seguida iniciaram suas recuperações. O alemão do carro #5 da Ferrari tomou a sétima colocação de Kevin Magnussen da Haas, enquanto o britânico passou pelo outro carro da escuderia americana pilotado pelo francês Romain Grosjean, além de Pascal Wehrlein e Marcus Ericsson da Sauber e Pierre Gasly da Toro Rosso. Vettel mergulhou por dentro do piloto da casa Sergio Perez e assumiu o sexto lugar na curva 4 e repetiu a mesma manobra diante de Lance Stroll da Williams na curva 1 antes de partir em busca de Esteban Ocon com o outro carro da Force India. 

Nesse momento da prova, Sebastian chegou rapidamente na Force India e usou a asa móvel para ultrapassar na curva 1. Naquele ponto, seu companheiro de equipe Raikkonen estava 24 segundos à frente com 14 voltas para o final. Quando ouviu a diferença pelo rádio, Vettel respondeu “Mamma Mia, isso é um pouco demais” e acabou cruzando a linha em quarto lugar. Hamilton, que levou a melhor numa empolgante batalha com Fernando Alonso pela nona posição com sua Mclaren Honda confirmou a posição adequada para cruzar e comemorar mais um título em sua brilhante carreira na categoria. Além do título de Hamilton, outros destaques na prova como o quinto lugar obtido por Ocon, seguido pelo jovem Stroll ao chegar em sexto e passar na tabela de classificação o companheiro de equipe, o brasileiro Felipe Massa que teve um pneu furado logo no início da prova e finalizou a corrida somente na 11º posição e ficou fora dos dez pilotos que somam pontos ao fim da prova. O piloto da casa, o mexicano Perez acabou em sétimo e Kevin Magnussen foi o oitavo com Alonso fechando a lista de carros que marcaram pontos. A próxima etapa será o Grande Prêmio do Brasil no dia 12 de novembro com os títulos de pilotos com Hamilton e equipes por sua escuderia Mercedes já definidos.


17/09/2017

BRASIL VENCE O JAPÃO E CONQUISTA O TÍTULO DA COPA DOS CAMPEÕES

Jogadores brasileiros derrotam os japoneses na casa deles e mostra hegemonia


A Seleção Brasileira masculina de Vôlei foi campeã da Copa dos Campeões. Em Osaka, no Japão, a equipe comandada pelo técnico Renan dal Zotto derrotou os donos da casa por 3 sets a 0, com as parciais de 25/17, 25/15 e 25/22, e assim conseguiu faturar pela quinta vez o título do torneio. Para garantir o triunfo, o Brasil não podia deixar a partida se encaminhar ao tie-break. Dessa maneira, os jogadores atentos entraram ligados e comandou todas as ações do confronto, não dando chances ao japoneses e vencendo em sets diretos. O central Lucão foi o maior pontuador, com 16 pontos no total, com dez de ataque, quatro de bloqueio e mais dois aces. Outros destaques foram Mauricio Borges e Lucarelli, que contribuíram para esta vitória. Pelo lado asiático, o melhor foi Issei Otake, com dez pontos. Com o resultado deste domingo, o Brasil conquistou o pentacampeonato da Copa dos Campeões, após ter faturado o título nas edições dos anos de 1997, 2005, 2009 e 2013. 


Esta foi a segunda conquista sob o comando de Renan dal Zotto, que também levou o time ao primeiro lugar no Campeonato Sul-Americano. A segunda colocação da edição de 2017 da Copa dos Campeões ficou com a Itália, que fechou com a pontuação igual ao Brasil, com 12 pontos, mas perdeu nos critérios de desempate. Já as seleções do Irã, Estados Unidos, França e Japão, respectivamente, completaram a classificação final da competição internacional.

30/07/2017

LUCAS DI GRASSI É CAMPEÃO DA FÓRMULA E 2017 NO CANADÁ

Di Grassi após duas tentativas fatura o campeonato da Fórmula E


O piloto francês Jean-Éric Vergne venceu a última corrida da temporada 2016/17 da Fórmula E, neste domingo (30) realizado nas ruas de Montreal, no Canadá. Mas quem comemorou de verdade foi o brasileiro Lucas di Grassi, que havia vencido a rodada dupla no sábado (29) e se tornou o terceiro campeão da história da categoria de carros elétricos criado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Os dois primeiros campeões foram o também brasileiro Nelsinho Piquet e o suíço Sébastian Buemi que foi o adversário direto de Lucas nas duas últimas temporadas. Na etapa final do Canadá, o brasileiro da equipe Audi iniciou a prova com 18 pontos na frente de Buemi com a vitória na primeira prova da rodada dupla. Na decisiva prova final, Di Grassi caiu de quinto para sexto na largada e perdeu mais posições na troca dos carros. Mas ele conseguiu se recuperar na segunda metade da prova, deixando até seu companheiro de equipe, o alemão Daniel Abt, passá-lo. O resultado na linha de chegada ficou em sétimo lugar. Já Buemi largou na 13º colocação e se tocou na primeira curva com o piloto português António Félix da Costa. 

O suíço e até então atual campeão caiu para o último lugar e se recuperou até finalizar a prova na 11º posição, mas bem longe do que precisava para pelo menos encostar na tabela de pontos sobre Di Grassi. O suíço da equipe Dams Renault liderou o campeonato desde o início, mas na etapa prinicipal acabou superado pelo brasileiro, dando o troco da perda do título na temporada anterior. O panorama da corrida teve Vergne deixando o inglês Sam Bird para trás. No complemento da 29ª das 37 voltas, ele passou pelo líder inicial, o sueco Felix Rosenqvist, na curva três. Os dois chegaram separados apenas por 0s896. O argentino José María López que fez uma prova com muito arrojo conseguiu tomar o pódio de Bird, com o alemão e ex-fórmula 1 Nick Heidfeld em quinto lugar. O brasileiro Nelsinho Piquet cruzou na 16º posição. Na classificação final, Lucas di Grassi somou 181 pontos, contra 157 de Buemi e Félix Rosenqvist acabou em terceiro no campeonato com 127 pontos. Nelsinho Piquet ficou em 11º lugar com 33 pontos.

16/07/2017

ROGER FEDERER CONQUISTA O TORNEIO DE WIMBLEDON

Federer se torna o maior vencedor do torneio em Wimbledon

Roger Federer aos 35 anos voltou a vencer o torneio de Wimbledon, o mais antigo da história do tênis mundial. Neste domingo, o tenista suíço enfrentou Marin Cilic e não deu chances ao adversário, vencendo por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/1 e 6/4.


Confira como foi esse duelo 

Neste domingo, Roger Federer confirmou o seu favoritismo e não deu chances para o adversário, o tenista croata Marin Cilic. Assim que a bolinha rolou na quadra de grama em Wimbledon não teve grandes performances já no primeiro set, deixando a desejar nas bolas de fundo e pecando no saque. Federer, com toda sua experiência e genialidade, se mostrou tranquilo durante toda parcial e quebrou o serviço do rival em duas boas oportunidades, fechando o set em 6/3. Já no segundo, Cilic voltou a esbarrar no aparente nervosismo e cometeu erros simples depois de apresentar bons lances. Logo no segundo game, Federer quebrou o saque do croata e largou na frente na parcial. Os torcedores presentes na quadra central até tentou embalar Cilic dando ânimo ao tenista, que cabisbaixo, apresentou um ritmo muito abaixo do apresentado até este domingo em Wimbledon, mas o croata pouco conseguiu produzir e assim perdeu a parcial por 6/1. 

No último set, o tenista croata imprimiu melhor ritmo de jogo e vendeu caro sua declarada derrota. No entanto, voltou a esbarrar nos saques e viu Roger Federer em melhor ação diante do adversário, com um lindo ace, fechou o placar da partida em 6/4 e assim conquistou seu oitavo título em Wimbledon e irá subir na lista divulgada desta segunda feira pelo ranking da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), o veterano suíço deve melhorar sua colocação e pode estar entre os três primeiros colocados.

 

11/06/2017

BRASIL VENCE A ALEMANHA NO VÔLEI FEMININO E CONQUISTA O TORNEIO DE MONTREUX

Nova safra do Vôlei Feminino conquista o primeiro título pós olimpiada

A Seleção Brasileira feminina de Vôlei conquistou neste domingo o título do Torneio de Montreux, que foi disputado na Suíça. A equipe comandada pelo experiente José Roberto Guimarães passou na decisão pela Alemanha e deu troco quando havia perdido ainda na fase de grupos da competição. A partida foi em seu panorama sem maiores dificuldades, vencendo por 3 sets a 0, com as parciais de 25/21, 25/20 e 25/18, e faturou o troféu da competição pela sétima vez, igualando as campanhas dos anos de 1994, 1995, 2005, 2006, 2009 e 2013. A conquista veio em bom momento, já que celebra o trabalho de renovação implantado por José Roberto a partir da última Olimpíada, no Rio de Janeiro no ano passado, e visando a próxima edição de 2020, em Tóquio. Afinal, ao longo de sua campanha na Suíça, o Brasil passou por alguns de seus rivais mais tradicionais. 

Para chegar à decisão, as jogadoras derrotaram a Polônia, Tailândia e China. O time asiático, aliás, é o atual campeão olímpico e bateu, justamente no Rio de Janeiro, o próprio Brasil nas quartas de final que vinha fazendo uma campanha intocável de forma invicta. Neste domingo, a seleção teve pela frente novamente a Alemanha, única equipe pela qual havia sido derrotada em Montreux. Mas ao contrário da queda por 3 sets a 2 na estreia, as brasileiras logo foram para cima das adversárias e tomaram conta da partida decisiva para vencer com autoridade. O bloqueio brasileiro fez a diferença na grande final. A seleção conseguiu ao todo 14 pontos neste fundamento, contra apenas cinco da Alemanha. Somente Adenizia foi responsável por cinco destes pontos. O time de José Roberto Guimarães ainda anotou 39 pontos de ataque, três de saque e 19 com os erros do adversário.